Antiga ferrovia é recuperada e vira cartão postal de Ourinhos

Ourinhos- SP: Patrimônio arquitetônico da Estrada de Ferro Sorocabana, que trouxe progresso e desenvolvimento ao Centro-Oeste Paulista, foi recuperado e ganhou um espaço dedicado à educação e à cultura em Ourinhos (SP).

As casas, que foram construídas na década de 1920, com a supervisão do engenheiro argentino radicado no Brasil Henrique Tocalino, tornaram-se um cartão postal da cidade. Há alguns anos, os seis prédios foram restaurados, mantendo as características originais do conjunto localizado no Centro de Ourinhos.

“Essas casas serviam para abrigar os funcionários da estrada de ferro, principalmente aqueles chamados ‘turmeiros’. Essas pessoas eram pessoas que tinham que estar de prontidão perto da ferrovia em casos de urgência”, afirma o historiador André Rodrigues da Silva.

Casas construídas na década de 20 são atração em Ourinhos (Foto: TV TEM/Reprodução)Casas construídas na década de 20 são atração em Ourinhos (Foto: TV TEM/Reprodução)

Casas construídas na década de 20 são atração em Ourinhos (Foto: TV TEM/Reprodução)

A Casa da Turma 8 atualmente abriga a Casa da Memória de Ourinhos e conta com um acervo de fotos e documentos de momentos importantes, como a chegada do primeiro trem à cidade.

Em outra casa funciona a Associação de Artesãos de Ourinhos, chamada “Feito à Mão”. Os visitantes param para conhecer a história do lugar e acabam comprando peças de artesanato. “Temos peças de crochê, patchwork, bonecas de pano e muitos outros produtos”, diz a presidente da associação, Zaia Carvalho.

Espaços guardam fotos da história da ferrovia em Ourinhos (Foto: Reprodução/TV TEM )Espaços guardam fotos da história da ferrovia em Ourinhos (Foto: Reprodução/TV TEM )

Espaços guardam fotos da história da ferrovia em Ourinhos (Foto: Reprodução/TV TEM )

Ao lado do local há o espaço do professor, um lugar ideal para os apaixonados por xadrez e também por leitura. A biblioteca tem mais de 5 mil livros, com títulos em braile, literatura nacional e até clássicos estrangeiros.

As casas ficam abertas de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, fechando para uma hora de almoço. A entrada é gratuita.

Patrimônio arquitetônico ganhou um espaço dedicado à educação e à cultura (Foto: Reprodução/TV TEM )Patrimônio arquitetônico ganhou um espaço dedicado à educação e à cultura (Foto: Reprodução/TV TEM )

Patrimônio arquitetônico ganhou um espaço dedicado à educação e à cultura (Foto: Reprodução/TV TEM )

Comente sobre a notícia!